sexta-feira, 25 de março de 2011

Repassando....



Aí pessoal, é super importante que façamos o cadastro de nosso Coven, Groove, Círculo ou Grupo de Estudos no site da União Wicca do Brasil. É de graça e ajudará aos novos wiccanos e wiccanas a encontrar um suporte sobre a religião, perto de sua casa.


Sexta-feira, dia mágico!


OLHA O CALDEIRÃO..FAÇAM SEUS PEDIDOS 
E UMA FELIZ SEXTA!!



quarta-feira, 23 de março de 2011

A Arte não é cobrada para ser ensinada!



Morgana Le Fay

O dia 16 de março é dedicado a Morgana Le Fay (pra mim, não há dia, idolatramos e nos devotamos à nossas deidades todos os dias), a Sacerdotisa de Avalon, a ilha sagrada da mitologia celta.Morgan ficou conhecida mundialmente graças aos livros da série As Brumas de Avalom, como Morgana, a irmã do rei Arthur.(será que foi bom isso?)
Originariamente, ela era a deusa "escura", que regia a Ilha dos Mortos e presidia a morte e o renascimento dos heróis mortos em combate. Em várias línguas "mor" significa mar, sendo os espíritos das águas chamados Morgens. A mais famosa deusa do mar recebeu o título Le Fay - a Fada.
Na mitologia galesa, Morgana era considerada a rainha de Avalon, o mundo subterrâneo dos mortos, para onde ela levou Arthur após seu desaparecimento deste mundo.
Em outras lendas, Morgan é uma maga ou curadora, que vivia com suas irmãs em Avalon, ou um aspecto da deusa Morrigan. Por ser a maçã o símbolo de Avalon ("Avallach" significava maçã), comemore comendo uma maçã cortada na horizontal, observando o pentagrama formado pelas sementes. Medite sobre seu caminho espiritual, pedindo à Deusa que afaste as brumas das incertezas e ilumine a sua busca, permitindo a sua transformação e renascimento.

domingo, 20 de março de 2011

Mabon


Meditação de Mabon 
O Caldeirão de Cerrydwen

Tradução livre por Brydea
do livro, "KINDLING THE CELTIC SPIRIT" de Mara Freeman


Época de Transformação
O Outono e as suas cores indicam-nos uma transformação. Tudo muda para se preparar para o Inverno, Devemos como ele modelar-nos enriquecer o nosso ser com tudo o que o ano nos trouxe até a data e o que podemos modificar para concluir o ciclo em Shawein e reiniciar um novo ciclo.
O Nome para esta ultima meditação do ano é o Caldeirão de Cerrydwen
 Toda a arte implica transformação e para poder fazer arte, nós mesmos devemos nos transformar. Viver conscientemente é um acto criativo, no qual cada dia é uma tela a ser pintada, o nosso metal a ser forjado, a nossa música a compor…
De uma certa forma, Gwion, (“ O Brilhante”), representa o Sol que é “engolido” pela noite que se estende com a chegada do Inverno. Ele surge do mar como o do “Fronte Luminoso” do Sol, nos primeiros dias do verão em Beltane.
No nosso ser interior, Gwyon representa a nossa essência, que se manifesta por uma luz brilhante. O nosso “Eu” pessoal gira a volta da luz no centro de nosso ser, como a Terra gira em volta da orbita solar.
A morte e o renascimento de Gwyon, como poeta vidente, evocado nos rituais de iniciação nas escolas dos mistérios no fim da antiguidade, onde o aprendiz descia ao reino da Grande Deusa, que recebe o espírito dos mortos e lhes concede uma nova vida.
Levam-nos a Cerrydwen. O seu caldeirão, sua matriz, e o oceano, são recipientes de regeneração, dos quais o simples camponês emerge para ser Taliesin, bardo e vidente. O pescador que o encontra trouxe na realidade um peixe na sua rede: o jovem Gwyon renasceu como um ser omnisciente do Outro Mundo - o Salmão da sabedoria.
Frequentemente a nossa vida é transformada com acontecimentos inesperados, tal como Gwion, quando ingeriu acidentalmente a algumas gotas da poção mágica.
É então quando Cerrydwen, guardiã do caldeirão das transformações, começa a perseguir-nos, forçando-nos a adaptarmos-nos e transformarmos-nos em uma nova pessoa,  pondo á prova a ideia de “pessoa” que tínhamos de nós mesmos ate agora.
Uma união que acaba, um emprego que se perde… subitamente o pilar que sustenta a nossa identidade quebra-se e tal como Gwion, somos mergulhados na matriz da Deusa para sermos recriados, remodelados.
 Acenda uma vela branca para o guiar e proteger nesta meditação e coloque no centro do altar o caldeirão. (Caso não tenha opte por o cálice ou uma taça também serve.) Se preferir ponha um pouco de incenso a queimar. Tenha perto de si um papel e uma caneta.
Sente-se confortavelmente frente ao seu altar. Pense em algo da sua vida que gostaria de transformar. Pode ser um sentimento, uma situação, uma relação, um hábito, ou o que quer que seja que queira regenerar.
Escreva-o sobre um pouco de papel e guarde-o no seu colo enquanto se prepara para a jornada ao encontro de Cerrydwen, Mãe das Mudanças e das transformações.
 Então feixe os olhos e relaxe…
 Encontra-se numa linda pradaria aquática perto do lago de Bala. A Oeste, um sol alaranjado começa a pôr-se, e silhuetas de garças e outras aves voam frente a ele, procurando os seus ninhos entre os juncos.
Do outro lado do lago entre as sombras distantes esbate-se a sombra de uma pequena casa circular, com um telhado cónico por onde sai um fio de fumo.
Caminha entre o lago e dirige-se para a casa. Ao aproximar-se apercebe-se que alguém esta a porta. Um Jovem mal vestido, de sobrancelhas muito escuras, talvez com idade entre os 16 anos. Sobre o seu ombro está um corvo empoleirado, e então percebe que tem a sua frente o filho de Cerrydwen, Morfran.
Ele levanta silenciosamente as peles que servem de porta e você entra.
A Primeira coisa em que repara é na luz fraca vacilante e nas sombras nas paredes, revelando ramos de ervas suspensos no telhado de colmo e de vez em quando percebe ver estantes com preciosas pilhas de livros amontoados, frascos de vidros e objectos de formas estranhas, reconhecendo algumas, mas outros aos quais não consegue atribuir nomes.
Encontra a sombra de uma pessoa inclinada e dirigindo o olhar para o centro da divisão e apercebe-se de que se trata de uma mulher alta de meia-idade, que mexe o conteúdo de um caldeirão fumegante. Ela tem uma saia carmesim, comprida até aos pés e duas tranças espessas, uma preta a outra branca. Ao seu lado encontra-se a sua filha, Crearwy, linda e esbelta, com cerca de 16 anos, com cabelos loiros ondulados sobre os ombros.
 Cerrydwen ergue-se e lança-lhe um olha directo e pergunta-lhe bem frente a si:
“O que pretendes tu transformar?”, fazendo-lhe sinal para que se dirija para perto do caldeirão. Você vai até perto dela com o papel no qual escreveu a sua vontade e ela diz-lhe para que o deite no caldeirão fumegante.
(Então nesta altura você pega no papel e coloca-o dentro do caldeirão, (do cálice ou da taça) que se encontra no centro do seu altar. E volta a fechar os olhos).
Enquanto o papel desaparece no líquido que o caldeirão contém, este começa a borbulhar com um assobio. Então você espreita e vê bolhas a formarem-se e a arrebentarem no superfície do caldeirão e gotas cintilantes salpicarem a sua volta e então o borbulhar acalma e o liquido volta á serenidade.
Cerrydwen sorri e leva-o até ao caldeirão. A superfície esta clara e pensativa e consegue ver imagens da situação transformada…
Note no que está diferente… como você está, como agem os outros à sua volta, o que você diz, o que pensa e sente, tome consciência da diferença das atitudes, da ressonância da nova vibração ao percorrer uma nova existência…
Faça uma longa pausa reflicta bem nisto tudo...
A jovem aproxima se de si, segurando na mão um cálice prateado minuciosamente gravado com aves.
Cerrydwen mergulha uma concha dentro do caldeirão e verte um pouco da poção dentro do cálice que a sua filha lhe entrega dizendo:
 “ Este é o Elixir do Awen, possas tu ser transformado(a)”.
Você bebe e sente-se ficar renovado(a), fresco, cheio de um sentimento de esperança para o futuro e empenhado na mudança positiva.
Agradece ás duas mulheres e dirige-se para a porta, que Morfran abre. Agradece-lhe igualmente e enquanto se afasta toma cada vez mais consciência de que está aqui sentado(a), neste mesmo local, neste mesmo espaço de tempo cada vez mais consciente, abre os olhos e sente-se renovado(a) e desperto(a).
Deixe a vela arder até ao fim, aponte tudo o que sentiu e o acontecido nesta viagem. No dia seguinte, se possível dirija-se até a um rio e ofereça algo em agradecimento a cerrydwen pela mudança que lhe concedeu.http://murmuriosdasbrumas.blogspot.com/2009/09/meditacao-de-mabon.html

quinta-feira, 17 de março de 2011

Oração à Grande Mãe



Grande Mãe... Senhora de meus caminhos...

Que hoje eu possa saber fazer silêncio !

Que os maus pensamentos se calem e que os meus ouvidos sejam surdos para as más palavras e maledicências.

Que os meus olhos possam apenas enxergar o Bem em todas as coisas por pior que elas pareçam.

Que o meu ego se emudeça e se afaste de julgamentos e condenações.

Que a minha alma se expanda e tenha compaixão por todos os seres vivos.

Que em meu silêncio eu veja que há tempo para fazer preces pelos que já se foram.(grifo meu)

Que eu consiga perceber cada recado Teu, através das Tuas criações.

Que eu compreenda que a Tua voz é a única que me sopra a verdade nas 24 horas dos meus dias.

Que eu ouça em cada minúsculo ser, a grandeza da Tua Criação.

Que eu perceba nessa Grandeza o quanto és desprovida de orgulho.

Mãe. Que hoje eu possa saber fazer silêncio !

Que eu saiba calar na hora exata e nessa hora lembrar-me de observar que na música da Vida só prevalece a Tua arte e que em meio a qualquer som Tu sempre soarás mais alto e jamais hás de calar-Te.

Que assim seja e assim será!

Texto : Luna de Haya

quarta-feira, 16 de março de 2011

Filmografia bruxesca =D


1. As Bruxas de Eastwick - (Cher, Michelle Pfeiffer e Susan Sarandon vivem entediadas numa cidadezinha da Nova Inglaterra. todas as quintas se reúnem para um coquetel e num desses dias, resolvem fazer um feitiço para atrair o homem ideal e Jack Nicholson aparece... parece que todos se divertiram fazendo o filme e nós também assistindo); 




2. Harry Potter e a Pedra Filosofal - (primeiro filme da série:um garoto órfão de 10 anos vive infeliz com os tios e recebe um convite para ingressar numa renomada escola de bruxaria. se você vive no planeta terra, conhece toda a história. um imenso sucesso de bilheteria e de marketing, que criou uma legião de fãs e enriqueceu todos os envolvidos); 
3. As Bruxas de Salem - The Crucible (ótimo filme, conta a história real de um reverendo da cidadezinha de Salem, nos Estados Unidos, que em 1691 inicia uma cruel caça às bruxas, deflagrada pela delação de um grupo de garotas, que se disseram possuídas por bruxas que viviam na cidade. ignorância, fanatismo e violência... o mundo não mudou muito nos últimos séculos) 
4. Stardust, o Mistério da Estrela - (uma estrela cadente cai além dos muros da cidade e um jovem vai atrás dela, disputando-a com a feiticeira Michelle Pfeiffer, que também a deseja para manter a beleza e juventude. muitas emoções neste mundo mágico);
5. Abracadabra - Hocus Pocus (três bruxas do século 17 - Bette Midler, Kathy Najimy e Sarah Jessica Parker - voltam ao presente, quando seus espíritos são evocados na noite de Halloween. para garantir sua imortalidade terão que enfrentar três crianças. pura sessão da tarde);
6. Convenção das Bruxas -  (um garoto é levado à Inglaterra pela avó após a morte dos pais. chegam a um hotel, onde ele descobre que está havendo uma convenção de bruxas - lideradas por Anjelica Huston - que pretende transformar todas as crianças do mundo em ratos. Infantil e divertido);
7. A Bruxa de Blair - (três estudantes de cinema embrenham-se nas matas de Maryland para fazer um documentário sobre a lenda da bruxa de Blair e desaparecem misteriosamente. um ano depois filmes e fitas são encontradas na mata. Assustador e barato, tornou-se um grande sucesso);
8. Da Magia à Sedução - (Sandra Bullock e Nicole Kidman são duas jovens bruxas, criadas pelas tias, que carregam o fardo de uma maldição imposta por sua mãe: todos os homens que se apaixonassem por suas descendentes deveriam morrer. muito assustador para crianças e muito infantil para adultos, mas eu amo!);
9. Jovens Bruxas - The Craft (quatro amigas de colégio se descobrem bruxas e passam a se dedicar à magia negra, que foge ao seu controle, gerando consequências trágicas. A trilha sonora também é ótima);
10. Sortilégio de Amor - (Kim Novak é uma bruxa, que vive com seu gato siamês. ela lança um feitiço no seu vizinho para que ele se apaixone por ela e abandone sua noiva, uma antiga rival dela. Entretanto Kim perderá seus poderes se também se apaixonar por ele. Encantadora comédia de 1958)SE ALGUÉM SOUBER ONDE BAIXAR ME AVISE, SÓ ASSISTI EM TV!!!

sexta-feira, 11 de março de 2011

SP terá eventos para bruxas e magos


Quem viveu os anos 1990 certamente se lembra do modismo dos anjos e gnomos que aconteceu no início da década. Na época, a loja esotérica Alemdalenda fazia o maior sucesso com o comércio de imagens, baralhos, livros de oráculos e até adesivos – o mais conhecido era um que trazia a frase “Consulte sempre uma bruxa”. Pois o esoterismo continua em alta. Desta vez, porém, o que está em voga é a bruxaria.
Para se ter uma ideia, nos dias 13, 14 e 15 de agosto a cidade de Paranapiacaba (SP) sedia a 7ª edição da Convenção de Bruxas e Magos, evento que tem por objetivo divulgar conhecimentos diversos sobre bruxaria, magia, terapias holísticas, ocultismo, umbanda, mitologia, xamanismo, reiki, numerologia e astrologia, entre outros temas semelhantes, com peças teatrais, shows musicais, palestras e consultas. Em outubro, nos dias 9 e 10, a unidade Anália Franco da Universidade Cruzeiro do Sul, na capital paulista, será cenário da primeira edição brasileira da Mystic Fair. A feira é inspirada na Magic International que acontece anualmente em Barcelona, Espanha, há mais de 25 anos, com a proposta de divulgar conhecimentos espirituais alternativos ao grande público.
Mas quem são as pessoas que, atualmente, não só se interessam por temas místicos como se autointitulam bruxos? E quais são as razões que as motivam a buscar conhecimentos sobre magia? Uma das razões possíveis é a disseminação na Wicca, sistema religioso pagão de culto à Grande Deusa (sim, uma crença a uma figura feminina), divulgado pelo britânico Gerald Garnder (1884-1964), a partir da década de 1930. O tema tem ganhado força desde o fim dos anos 1990. Tanto que, em 1998, foi fundada a Associação Brasileira da Arte e Filosofia da Religião Wicca (Abrawicca), presidida pela bruxa e sacerdotisa Márcia Maria Bianchi Prates, cujo nome pagão é Mavesper Cy Ceridwen (a tradição prega que seus seguidores escolham um).
 
BRUXAS MODERNAS - Esqueça a tradicional imagem de uma velhinha com verruga no nariz, chapéu e vassoura voadora preparando poções mágicas em seu caldeirão para prejudicar alguém. Márcia explica que os preceitos principais das bruxas modernas são preservar e amar a natureza, abominar todo e qualquer tipo de discriminação e se colocarem como irmãs de todos os seres viventes e de toda matéria. “Além disso, nós vivemos cada momento do dia buscando o equilíbrio, seja pessoal, seja social, seja do meio ambiente, seja coletivo”, conta Mavesper, que mora com sua família desde 2006 na Chácara Templo da Deusa, em Brasília (DF). “Além de sediar a Abrawicca atualmente, o espaço foi concebido para ser um centro de treinamento e vivências sacerdotais. É um lugar de retiro, busca de contato com os deuses antigos que cultuamos e um local de culto aberto. Já tivemos mais de 30 bruxos residentes por períodos diversos para treinamento, e fazemos três ou quatro eventos anuais que reúnem entre 50 e 200 pessoas em fins de semana. Também realizamos atendimentos de tarô e cura xamânica, entre outros; uma média de 100, por mês”, afirma.
Um dos rituais da VI Convenção de Bruxas e Magos de Paranapiacaba (SP), em2009. Por causa do seriado "Harry Potter", magia Wicca teve procura aumentada entre jovens.
Em São Paulo, na região do Grande ABC, faz sucesso a Universidade Livre Holística Casa de Bruxa, em Santo André. Idealizado pela bruxa e teóloga Tânia Gori, o local oferece cursos sobre bruxaria natural, realiza atendimentos e conta com uma loja e uma biblioteca. “Gosto de dizer que a Casa de Bruxa é uma escola que ensina, sobretudo, como a energia do universo atua em cada ser humano”, salienta Tânia Gori, que é fundadora da filosofia da bruxaria natural no Brasil e membro da federação de Celtic Reiki, na Irlanda. “A iniciativa de fundar a Casa da Bruxa surgiu da necessidade de passar esses conhecimentos para as pessoas. Hoje formamos turmas de terapeutas holísticos com 25 alunos em média e atualmente oferecemos programações – cursos rápidos, palestras – sobre cerca de 150 temas relacionados à área. E temos por mês a visitação de 5 mil pessoas, sendo que desse perfil 90% são mulheres”, destaca.
MOTIVOS - O sexto sentido, a vontade de se conhecer melhor e o altruísmo são alguns dos motivos de as mulheres constituírem o maior contingente de pessoas entre os novos admiradores da magia e do ocultismo. Um bom exemplo é a auxiliar contábil Raquel Morello, 32 anos, de São Paulo. “Desde a minha infância tenho crenças um pouco diferentes dos demais. Minha família é católica, então fiz primeira comunhão e crisma, tudo que uma boa católica deve fazer. Mas nem assim meu interesse pela igreja, então aos poucos fui parando de freqüenta-la. A ideia de ser uma bruxa sempre me fascinou, e quando descobri que ser bruxa era acreditar em tudo em que eu ja acreditava, além de ver as coisas do mesmo modo em que eu já via, é que me fez ter certeza que este é o meu caminho”, explica. Para Raquel, ser bruxa é ter alma e o coração bondosos, ser honesta e sensível e fazer magia para o bem, ou seja, para purificar energias. Ela procura trocar conhecimentos sobre magia pela internet – mais precisamente pelo Orkut, onde existem inúmeras comunidades dedicadas à Wicca e temas afins. Usar a rede para trocar experiências, aliás, é outra característica dos bruxos modernos.
Apesar de as mulheres serem maioria, os homens também têm aderido ao tema. É o caso do publicitário Newton Souza, 30 anos, de São Paulo, que se formou em terapia holística pela Casa de Bruxa. “Hoje em dia sou um psicoterapeuta holístico e pesquisador das antigas tradições e os efeitos psicológicos que a religião exerce sobre as pessoas em seu dia a dia, pesquisador de Celtic Reiki (variação do Reiki tradicional Usui Tibetano), massoterapeuta, palestrante, consultor de runas e tarô e professor de assuntos holísticos”, diz. “Comecei a me interessar por este assunto quando eu tinha por volta de 10 a 11 anos de idade por meio dos cristais. Na bruxaria natural me encontrei por se tratar de uma filosofia e não uma religião, pois é aberto ao questionamento e você tira as provas por si só”, ressalta. Newton afirma que as práticas diárias de harmonização com os quatro elementos (fogo, ar, terra e água), por exemplo, lhe trouxeram muito mais equilíbrio, tranquilidade em perceber a vida e não apenas deixá-la passar despercebida, evitando “descontroles emocionais tão comuns nos dias de hoje”.

BANALIZAÇÃO - Para Márcia Frazão, bruxa “das antigas” e autora de vários livros, a denominação “bruxa” ultimamente a tem incomodado. “De repente a palavra se tornou tão banalizada que acabou perdendo o seu real significado. Para mim (e para muitas mulheres mundo afora) ser bruxa significa estar em pleno equilíbrio com a sua condição feminina e com a natureza, coisa que nem sempre é fácil. Afinal, estar em equilíbrio com o feminino, liberta das milhões de exigências que são feitas para a mulher, é um caminho que envolve renúncia, ativismo, posicionamento sócio-político etc. E estar em equilíbrio com a natureza também envolve as mesmas coisas, como renunciar ao uso de microondas, celulares”, acredita. “Não tenho nada a ver com a Wicca e desde pequena fui criada, e me criei, para ser uma bruxa, ou seja, uma mulher em busca do equilíbrio com o seu feminino. Digo ‘em busca’ porque o equilíbrio não é estático, ele está sempre em movimento”, diz.
A grande procura por Wicca por parte dos adolescentes, segundo Márcia Frazão, se deve ao que chama “efeito Harry Potter”. Entre os praticantes de bruxaria há muita controvérsia – uns dizem seguir os preceitos antigos, antes de Gerald Gardner e sua Wicca; outros dizem que há banalização do assunto e que existem pessoas que acendem uma vela e fazem uma simpatia e já se dizem feiticeiras. Outros, no entanto, preferem se manter à margem de polêmicas e brigas, como Tânia Gori. “Acho que todos que trabalham com energia deveriam ser mais unidos. Cada um tem sua verdade e nenhuma verdade é totalmente verdade. Acredito que todas as formas de amor são válidas, assim com somos pessoas diferentes em nossas semelhanças, nossa fé, crença, política, religião e filosofia devem ser respeitadas. Não existe nenhum lugar com a verdade total, pois nem sabemos se a verdade total existe. Por isso sempre gosto de citar Sócrates: a cada dia, sei que nada sei”, conclui.


Texto: Heloísa Noronha
Foto: Internet (Domínio Público)


domingo, 6 de março de 2011

Sob a Lei das Bruxas

Sob a lei das bruxas viva a aliança, em perfeito amor e perfeita confiança. Oito palavras a Rede Wiccana contém: Faça o que desejar, mas sem ferir ninguém. O que a outrem se envia a si mesma há de voltar. É a lei do Triplo Retorno que se deve recordar. Com a mente e coração, que a lei seja seguida, para um feliz encontro e uma feliz partida.

                            
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...