terça-feira, 3 de agosto de 2010

Imbolc



Este final de semana comemoraremos a roda Celta (hemisfério Sul) Oimelc, segue informações sobre a Deusa que cultuamos nessa data.Ricardo DRaco -
Bruxaria Tradicional Ibero-Celta

- Filha de Dagda , Briga é conhecida por diversos nomes e em diversas localidades da Europa :Bride (Noiva), Bridey, Brighid, Brigit ("A Exaltada", "A Luminosa", "Raça Pronunciada" ), briggidda e Brigid."
Sendo uma divindade solar, seus atributos são a Luz, a inspiração e todas as habilidades associadas ao fogo, ela é a benfeitora da cura interna, fertilidade e da energia vital.
Briga também é retratada com três faces e isso reflete a trindade de ofício ou três poderes, sendo:
* A sabedoria, poesia e inspiração divina (Awen).
* A Cura, as artes divinatórias e a profecia.
* O ofício dos ferreiros e atividades ligadas ao sagrado fogo da forja.
Um dos seus nomes mais antigos é Breo-Saighead (que significa "Flecha de Fogo", "Flecha Certeira", "Seta Brilhante", "Seta Impetuosa") e nisso está contido o seu atributo de Justiça Divina, pois Brigit também está ligada às Leis.
Ela também está relacionada à União, pois se casou com um Fomorian (Tribo inimiga da Tribo de Dannan) e por algum tempo a paz foi presente entre esses povos. Quando seu filho foi morto em batalha, ela foi até o campo lamentar a sua morte. Este fato ficou conhecido como o primeiro caoine (keening = grito desesperador) que segundo as tradições foi um lamento terrível ouvido por toda a Irlanda, algo carregado de tamanha tristeza que seu som era por demais doloroso e assustador para ser ouvido. Seu culto é conhecido em toda a Europa, unindo várias tribos que muitas vezes eram inimigas em adoração a ela.
Como patrona da poesia, filidhecht, ela é a fonte da inspiração e sabedoria ao qual os bardos acessam. Ela é a própria Chama (fogo inspirador), que acende a luz na alma para que a centelha divina se manifeste, e dessa forma as Artes se manifestavam, tanto para a arte artesanal como para a arte poética, as tão temidas poesias que detinham poder, como encantamentos. Sabiam como, quando e de que forma usar as palavras e as moldavam, como uma escultura, uma essência que ganhava forma e tanto poderia ser uma forma de afago ou uma arma. É a mantenedora da cultura, do aprendizado e da sabedoria.
O Festival que presta honrarias a ela é Imbolc (oi-melc: lactação ou leite de cabra), estando associado à Lactação das ovelhas e cabras (alimento sagrado para os celtas, pois representa a pureza), a purificação por água de fonte (os poços, nascentes e rios também lhe são sagrados), ao nascer, ao início e à chegada da primavera. Portanto ela também é reconhecida como uma Deusa Iniciadora, pois esse é o período em que o inverno se vai e a vida novamente começa a brotar. Apesar dela ser uma deidade extremamente abrangente, nesse festival ela é honrada enquanto Mãe, aquela que provê o alimento para a Tribo.
Existem inúmeras histórias que citam poemas escritos pelo Bardo Taliesin e inspirados por Briga, inclusive uma história do século XII sobre uma Cosmologia Tradicional.
Hoje ela é vista na Bretanha como uma Guerreira, e seus soldados são chamados de Brigantes.
Existem inúmeros textos sobre ela, mas a grande maioria com dados católicos, e que tornam obscuros os abrangentes aspectos que ela possui.
(Fonte: http://www.arvoresagrada.hd1.com.br/Mitologia_briga_dir.htm_briga_dir.htm)




2. Oimelc - Ritual Celta


Enviado por: "Ricardo" asla_bt@yahoo.com.br asla_bt


Oimelc, que é denominado alternativamente Imbolg ou Imbolc, é uma festivadade que marca os portais da primavera. Festival pagão de origem celta associado com a deusa Bríg ou BrigA (origem continental) , que depois foi cristianizada como Santa Brigid.
No hemisfério Norte é cultuado na data aproximada de 1 ou 2 de Fevereiro, porém no Hemisfério Sul sua data migra para os primeiros dias de agosto.
Na sequência da conversão da Irlanda ao cristianismo no século 5, Imbolc sobreviveu na memória popular medieval em pelo menos, quando foi apresentado em vários contos mitológicos, tais como a Emire Tochmarc do Ciclo do Ulster , embora com pouca compreensão do seu propósito original. Oimelc é um dos quatro festivais da mitologia celta, sendo os outros Beltane , Lughnasadh e Samhain , de base pan-celta e da Idade do Ferro.
Na Escócia, o festival é também conhecido como La Fhèill Brighde, na Irlanda, como La Fhéile, e no País de Gales existe um festival similar, y Gwyl Canhwyllau.
Bríg é patrona da poesia filidhecht, equivalente a sabedoria bárdica, é a mantenedora da primaria da cultura e do aprendizado.
Bríg também é a deusa dos médicos e dos curandeiros, da divinação e da profecia, um dos seus nomes mais antigos é Breo-saighead que significa "Flecha de Fogo". ela é conhecida em todas as terras gaélicas com algumas variações para o mesmo noem como Brid, Bride, Brigid, Brigidh etc. sendo alguns destes mais largamente conhecidos.Essas diferenças são o resultado da existência de dialetos diferentes de uma mesma língua.
"Sgeulachdan Gaidhealach" , ou contos gaélicos que continuam a serem contados no cohecimento popular das costas e das colinas. "Brighid bhoidheach". Bride a Bela, não é rara em canções e hinos sazonais,onde seus sinais são vistos ao longo das praias cinzas, nas trilhas dos prados, no sulco dos vales, no caminho da costa branca, os moradores da ilha sabem o ano novo se revela enfim,que o alimento, calor e felicidade estão saindo do sul.Em toda parte Ela é honrada nesse momento.Am fheill Bride era até recentemente um festival de alegria ao longo do oeste , das regiões montanhosas da Escócia até a mais estreita faixas de praia da Barra os de Lews, nas áreas montanhosas mais remotas da Escócia e nas Ilhas ainda continua sendo.
A associação de Bríg, a Filha da Manhã , que em uma mão segurava o sol nascente como uma pequena chama amarela e em outra mão segurava a flor vermelha do fogo. Eles se referem Àquela que os bardos e cantores reverenciam como senhora de suas habilidades. Ela cujo fôlego é uma chama e cuja chama é canção, a quem cada poeta, do mais humilde cantor errante á Oisin das Canções, de Oisin das Canções à Angus Og no arco-íris ou Midir do Mundo Subterrâneo era abençoado devido a chama que Ela colocara no coração dos poetas assim como a vida vermelha que ela colocara na chama que brota da lenha e da turfa.
Sem esquecer que Ela é filha do ancestral Deus da Terra,porém maior que Ele,pois nele não há mais que terra e água, enquanto nas veias dela correm o ar e o fogo. E não se pode esquecer que a qualquer momento que queira, Ela pode se inclinar aos mortos e seu sopro pode vivificar, e o pulso voltar ao coração e o que era pó pode se erguer e ser feliz mais uma vez. Sim, a Formosa Mulher de Fevereiro ainda é reverenciada.
Na noite desse dia santo, Bride é convidada pra dentro de casa, velas são benzidas.Divinaçõ es são feitas nessa ora.Essa é a estação em que os cordeiros nascem. De Samhain à Imbolg considerava- se o inverno.
Existem poucas horas de dia claro pra se trabalhar no lado de fora,então a família passava o tempo ao redor da fogueira que era a fonte de sua luz, calor e comida quente. A lareira foi o ponto de abertura para o seannachaidh (contador de história) que, com a inspiração do fogo, contava histórias de seu povo.O fogo sagrado é fortemente associado a Bride.Seu nome traduz-se "flecha ígnea".Um de seus aspectos é o de Deusa da Poesia e é Ela a "chama de inspiração".Outro termo dado a Bride é "chama no coração de toda mulher".Isso mostra a absoluta autoridade da mulher na casa.Imbolc era um festival de fogo somente para os pertencentes á casa.
Grande cuidado era dado a manutenção do fogo nessa noite, quando uma
haste de sorveira braba era colocada no coração da fogueira.Na manhã seguinte, antes do raiar completo do sol, o fogo era checado em busca de sinais das bênçãos Dela.O sinal em questão era uma figura que se parecesse com um cisne ou ganso.Se a marca fosse encontrada, um tempo de extrema boa-venturanç a se seguiria pra aquela família.
As associações de Bride com gansos e cisnes são também encontradas nos encantamentos de Carmina Gadelica de Alexander Carmichael.O Idioma da Deusa de Maria Gimbutas é uma ajuda pra tentar entender o significado da Deusa Pé de Pássaro.(Bird Foot Goddess).
Uma variação desse costume é achada na Escócia,na noite do Dia de Santa Brigit.Lá as mulheres da casa vestem um feixe de aveia com roupas de mulher.Elas deitam a boneca numa cesta chamada de Cama de Brigit próxima a um porrete fálico.Então elas gritamm três vezes "Brid chegou,Brid é bem-vinda!" e deixam velas queimando no altar de suas casa a noite toda.Na manhã seguinte elas procuram uma impressão do porrete nas cinzas da lareira.Numa outra versão, se o sinal estiver lá ela,significa que o ano será próspero e frutífero.Um costume similar é encontrado também na Ilha de Man e é chamado Laa'l Breeshey.
É comum a Irlanda encontrar pessoas fazendo cruzes de Santa Brigid de palha o junco.Isso parece ser "derivado de uma cerimônia pré-cristã relacionada com a preparação das sementes para crescerem na Primavera"(The Irish Times,1º de fevereiro,1977) .É parte do costume ancestral chamar La/Fhe/ile Brid.Começa com uma coleção de juncos.Eles estão juntos e à meia noite a pessoa designada à carregar os juncos cobre suas cabeças, então os leva pra porta e bate.A Bean na Tighe (mulher da casa) manda alguém abrir a porta.Quando quem carrega os juncos entra, a Bean na Tighe diz a eles "Fáilte leat a Bhrid".Ma era modern, a personagem responde `Beannacht Dé ar daoine na tighe seo" (Deus abençõe as pessoas dessa casa).As pessoas da casa então começam a fazer as cruzes no mesmo formato das "Cruzes Celtas" .Uma vez que o Sol para os Celtas e Gaélicos ancestrais era feminino (a luz era masculina), nós salientar que esse símbolo solar de cruz de junco era um ímbolo de Brid em si. Juncos não usados eram enterrados.Depois que os juncos eram feitos, a família festejava.
No dia de Imbolg, as cruzes feitas no ano passado são queimadas e as novas eram penduradas pela casa e em outros lugares da família.
Elas são queimadas mas jamais empregadas casualmente ou diferente fim
profano.É muito com achar poços com a marca Dela.Como nos outros festivais, é comum achar pedaços de roupas ou peças inteiras atadas ás árvores próximas deles depois do festival.Um pedaço de weather lore das terras Gaélicas conta assegura que lavar roupa durante o Imbolg trás mal augúrio (mais inverno) enquanto roupas inclement (severas,duras? ) mostravam que o inverno acabou.Todos dizem que esta é um festival onde o clã ou família se reúne à lareira para festejar.(Fonte:www.arvoresagrada.hdl.com.br)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...